Rede dos Conselhos de Medicina
Especialistas discutem responsabilidade do médico nos códigos Civil e de Defesa do Consumidor Imprimir E-mail
Qua, 17 de Agosto de 2011 13:09
iidireitomedico6Por ter uma responsabilidade subjetiva, a relação médico-paciente não se caracteriza uma relação de consumo. Desta forma, o que se aplica ao profissional da Medicina é o disposto no Código Civil e não do Código de Direito do Consumidor (CDC). “Nos dias atuais, há algumas dúvidas porque alguns juristas enxergam uma relação de consumo, mas o CDC se aplica a uma responsabilidade objetiva”, explicou o presidente do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), Miguel Kfouri, nesta quarta-feira (17), durante o II Congresso Brasileiro de Direito Médico.
 
De acordo com Kfouri, a relação médico-paciente não se caracteriza como uma relação de consumo, até porque o médico não pode se vincular a um resultado positivo. Para ele, a responsabilidade deriva da culpa médica: imperícia, imprudência e a negligência. “Se não se prova essa culpa do médico, não existe responsabilidade”, declarou.
 
Na mesma orientação, a diretora do Instituto Brasileiro de Política e Direito do Consumidor (Brasilcon), Amanda de Oliveira, apontou que pessoas aplicam o Código de Defesa do Consumidor a qualquer situação, o que fragilizaria a própria norma. “As pessoas estão entendendo que o Estado tem que garantir a saúde dela a qualquer custo. O CDC não veio para incentivar isso”.
 
A tarde desta quarta-feira (17) está reservada para debates sobre a repercussão penal no exercício da Medicina e os abusos nas demandas de saúde na Justiça. Para acompanhar II Congresso de Direito Médico em tempo real, clique aqui.
 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner