Rede dos Conselhos de Medicina
Especialistas discutem a cefaleia na APM Imprimir E-mail
Ter, 16 de Agosto de 2011 13:06

A Associação Paulista de Medicina (APM), por meio de seu Comitê Multidisciplinar de Dor, promove em 18 de agosto de 2011 nova discussão de casos clínicos. Desta vez, o tema discutido será cefaleia. Este mal acomete milhões de brasileiros e são raros aqueles que nunca apresentaram algum episódio de dor de cabeça.

“Convidamos médicos de diferentes especialidades para discutir casos clínicos de cefaleia sob diferentes enfoques e realizar troca ativa de experiências, revisão de conceitos com ênfase no seu manejo clínico”, revela dr. Rogério Adas de Oliveira, presidente do Comitê Multidisciplinar de Dor da APM e moderador do evento.

O evento é voltado a todos os profissionais de saúde envolvidos no tratamento das cefaleias, como clínicos gerais, neurologistas, fisiatras, psiquiatras, ginecologistas e dentistas.

Cefaleia - Existem as cefaleias primárias e  secundárias. “Não há uma causa estrutural definida para as cefaleias primárias, que representam mais de 90% dos casos. Os exames complementares costumam ser todos normais. “Uma das cefaleias primárias mais comuns é a enxaqueca, que pode ser deflagrada pela má alimentação, pelos estresses emocionais, privação do sono e sedentarismo, oscilações hormonais e fases do ciclo menstrual, por exemplo”, explica o dr. Rogério.

As secundárias são aquelas decorrentes de doenças estruturais, como infecções do sistema nervoso, hemorragias intracranianas, tumores, entre outras. Os casos de cefaleia súbita, cefaleias de instalação recente ou mudança no padrão de cefaleia, as cefaleias após traumatismos cranianos, em pacientes idosos ou em soropositivos para o vírus HIV merecem atenção especial e investigação específica.

Para ambos os casos, as principais dúvidas dos especialistas são quando e como iniciar a investigação.

Tratamento - Existem varias opções de medicamentos analgésicos indicados para as crises de dor. No caso de cefaleias crônicas é necessária terapêutica profilática. São comumente utilizados antidepressivos, anticonvulsivantes, betabloqueadores, entre outros.

“Mudar alguns hábitos de vida, como manter uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos regularmente podem auxiliar na prevenção da cefaleia primária. Este tipo de informação é importante a todo portador de cefaleia  recorrente e cabe ao profissional de saúde bem orientar e educar o paciente nestes aspectos”.

Discussão de casos clínicos: Cefaleia

Data: 18 de agosto de 2011

Horário: 20h às 22h

Local: Auditório da APM - Av. Brigadeiro Luís Antônio, 278

Informações e inscrições: (11) 3188.4281

Fonte: APM

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner